Descubra Tudo Sobre o Mercado Financeiro

Continuar Lendo...

Todavia, devemos ter a consciência de que o dinheiro existe para nos servir e, sendo assim, devemos fazer com que ele trabalhe para nós, através de investimentos sólidos e rentáveis. Quanto maior a disponibilidade dos recursos financeiros, maior é a capacidade de investimento, que é a diferença entre poder econômico e poder financeiro.

Quando o investidor quer realizar uma aplicação financeira, primeiro deve-se identificar qual o seu perfil, se é conservador, moderado ou dinâmico, bem como, a segurança da instituição financeira, a rentabilidade do investimento, a proteção que ele possui e a liquidez do mercado em relação ao ativo que esta sendo adquirido.

No mercado financeiro, existem vários tipos de investimentos, divididos em Renda Fixa e Renda Variável. Como por exemplo, a Caderneta de Poupança, os Fundos de Investimentos, os CDBs, entre outros, estão classificado como Renda Fixa. As Ações e os Derivativos (os chamados contratos a termo, futuros, opções e swap), são denominados de Renda Variável, visto que não tem vencimento e não sabemos quanto que esses ativos irão render, uma vez que dependem do desempenho do mercado de capitais.

Para se aplicar nestes grupos, deve-se sempre procurar as orientações de um especialista, como os Gerentes de Relacionamentos dos Bancos Comerciais ou Múltiplos, que sejam certificados pela ANBID (Associação Nacional dos Bancos de Investimentos e de Desenvolvimento), os Agentes Autônomos de Investimentos, reconhecidos oficialmente pela CVM, ou também os Consultores Financeiros Pessoais, que geralmente desenvolvem um plano financeiro familiar adequado ao poder financeiro de cada investidor.

Existem também, alguns sites informativos que auxiliam o investidor no momento de se decidir em que tipo de mercado investir, inclusive com disponibilidade de simuladores financeiros.

Porém, o primordial é identificar o perfil de cada investidor, pois a partir desta análise é que o investidor irá direcionar seus recursos para os diversos tipos de investimentos disponíveis no mercado, com maior ou menor risco, buscado sempre a melhor relação entre risco x retorno.

Portanto, o que devemos compreender sobre o mercado financeiro é que ele serve para suprir os diversos tipos de necessidades econômicas, tanto dos superavitários, quanto dos deficitários, sabendo inclusive como usufruir corretamente dos serviços disponibilizados pelos intermediadores financeiros, para que o equilíbrio entre o poder econômico e o poder financeiro, não seja distorcido.

No mercado financeiro as pessoas também vão buscar serviços como seguro de vida, planos de previdência, cobrança bancária, etc. Todos esses processos são fiscalizados e controlados por entidades como o Banco Central, a Bovespa (Bolsa de valores de São Paulo), CMV (Comissão de Valores Mobiliários) entre outras, sendo que todas estas estão subordinadas ao Conselho Monetário Nacional - CMN, que é presidido pelo Ministro da Fazenda.
O mais importante agente é o Banco Central do Brasil, que define a taxa de juros e pode influenciar o câmbio por ações de open market. A principal bolsa de valores do Brasil é a Bovespa que movimenta títulos e outros papéis das 316 empresas brasileiras de capital aberto. O maior banco do Brasil é o do governo federal – Banco do Brasil. O maior banco privado é o Bradesco.

# Conhecendo o Mercado FOREX.

características únicas:

  • a negociação é feita num par de moedas, como por exemplo a relação Iene/ Dolar4

  • O elevado volume de operações realizadas, propiciando elevada liquidez;

  • Dispersão geográfica;

  • Operação contínua: 24 horas por dia exceto final de semanas, i.e. operações das 20:15 UTC de domingo até 22:00 UTC sexta;

  • A variedade de fatores que afetam a taxa de câmbio; e

  • A utilização de alavancagem para possibilitar variação da margem em função do tamanho da conta do cliente, o que pode aumentar significativamente o risco pelos valores envolvidos.

  • Multiplas Plataformas de Negociaçāo.

FOREX (um acrônimo da expressão em inglês foreign exchange, significando Mercado de Câmbio) é um mercado financeiro descentralizado destinado a transações de câmbio, sendo o maior mercado do mundo.1Em termos de volume de dinheiro movimentado, movimenta o equivalente a quase 4 trilhões de dólares estadunienses diariamente.2 Segundo dados de 2007, movimentava cerca de 3,43 vezes mais do que a soma de todos os mercados de títulos no mundo, e 9,63 vezes o volume negociado no mercado de ações mundial.3Inclui trocas entre grandes bancos, bancos centrais, corporações multinacionais, governos, e outras instituições financeiras. Pequenosinvestidores são uma parte muito pequena deste mercado, e só podem participar indiretamente, através de corretoras ou bancos.

Quando usado para fins de especulação financeira, o mercado Forex apresenta 

//   REGULAMENTAÇÃO 

Nāo existe no Brasil uma regulamentação atuante nesse mercado, ou seja, a CVM não da respaldo aos brasileiros que queiram ingressar no FOREX. Entretanto ela deixa claro que: "não há ilegalidade em um brasileiro realizar um investimento no estrangeiro, que pode ser a aquisição de um instrumento financeiro ou até de uma casa, desde que sejam observadas as normas aplicáveis, inclusive as definidas pelo Banco Central do Brasil". (ver cartilha na integra: http://www.cvm.gov.br/port/taxas/mercadoForex.pdf).

Uma das maneiras de se resguardar quanto as fraudes no mercado de Forex, é se atentando para as regulamentações existentes em cada região, e que em outros países, tem o mesmo papel que a CVM aqui no Brasil.

 

As principais e mais importantes regulamentações que existem no mercado de FOREX estão na Europa e Estados Unidos, cujos links são:

- FSA - REINO UNIDO - http://www.fsa.gov.uk - NFA - ESTADOS UNIDOS - https://www.nfa.futures.org - SEC - ESTADOS UNIDOS - http://www.sec.gov

Infelizmente, é muito comum fraudes envolvendo corretoras não regulamentadas ou com fraca regulamentação, sendo sua atuação muito semelhantes as antigas "BUCKET SHOP" causando muitos prejuízos aqueles que não buscam informações fidedignas.

Não existe uma clearing house que centralize a maioria das operações, e existe uma regulação muito pequena entre países, apesar da regulamentação dentro de cada país onde Forex é operado. Devido a natureza de mercado de balcão existe a interconexão de alguns pregões, onde diferentes instrumentos são transacionados. Isto implica que não existe uma única cotação, mas sim um conjunto de diferentes cotações, dependendo de qual banco ou formador de mercado esta transacionando. Na prática as taxas são muito próximas, caso contrário poderiam surgir oportunidades de arbitragem.

O FOREX não se destina apenas a pessoas interessadas em realizar investimentos lucrativos. Na verdade, pessoas e empresas que tenham interesse em transacionar com divisas, como importadores e exportadores, também atuam nesse mercado para atender às suas necessidades relacionadas a moedas estrangeiras. Devido às suas características peculiares, no entanto, a maioria do volume negociado é de investidores, buscando lucrar ou especular. Os especuladores, para realizar suas estratégias em busca de melhor rentabilidade, procuram aquelas moedas mais líquidas, ou seja, mais negociadas, o que facilita a realização de suas operações. Inicialmente, este era um mercado restrito a bancos e investidores institucionais. Com a evolução tecnológica e a crescente globalização dos fluxos financeiros, o FOREX tornou-se acessível a investidores individuais que, usando a Internet, em diferentes países, têm acesso às transações.

O QUE É FOREX ?

As Opções Binárias tornaram-se bastante populares nos últimos dois anos. As razões principais são os retornos elevados e a facilidade de negociação. Neste artigo irei abordar as diferenças entre o Forex e as Opções Binárias para que no fim possa escolher qual o melhor método de trading que mais se adapta a si. A melhor forma de começar é ver as respetivas definições e um exemplo prático.

 

Definição Forex: Na negociação em Forex você está especulando que o valor de uma moeda aumenta ou diminui em relação a outra, numa tentativa de fazer um lucro. Por exemplo: O preço atual do EUR/USD é 1,30850 e você acha que o preço vai aumentar no futuro. Você compra 1 lote de EUR/USD e espera até o preço aumentar para o ponto onde você quer fechar a negociação e realizar o lucro desejado.

 

Definição Oções Binárias: Ao negociar nas Opções Binárias você só tem que prever se o preço de um ativo (por exemplo par de moedas ou de ações) vai aumentar ou diminuir em relação ao seu preço atual, durante um determinado período de tempo. Por exemplo: O preço atual do EUR/USD é 1,30850 e você acha que o preço será maior na próxima hora. Então você efetua um “Call” (Pedido) em EUR/USD e espera pelo novo preço daqui a uma hora. Se a sua previsão estiver certa, pode fazer um lucro de 80% face ao seu investimento.

O QUE SÃO TRADERS ? //

O Mercado Financeiro é dividido em:



- Mercado de crédito: cuida dos empréstimos bancários. Quando você paga juros para um banco significa que o banco lhe emprestou dinheiro, ou seja, investiu em você. Isto pode ocorrer quando você usa o cheque especial, desconta duplicatas, desconta cheques, faz um financiamento, etc.

- Mercado de câmbio: cuida da relação justa entre as moedas dos países. Muitos países adotaram o dólar para comparar com a sua moeda. Assim, quando um negócio é feito entre dois países, primeiro eles comparam os valores de suas moedas com o dólar para facilitar a transação. No Brasil quem pode ter conta em dólares é só o Banco Central e alguns bancos autorizados e mesmo assim, os dólares não podem ficar de um dia para outro na conta. Além dos bancos, quem negocia com dólares são: os importadores, que precisam comprar dólares para pagar suas compras; os exportadores, que recebem dólares, vendem aos bancos e ficam com reais e os investidores estrangeiros, que trazem dólares para investir, trocam por reais e quando vão embora compram dólares novamente. Diariamente os bancos ficam vendendo e comprando dólares dos importadores, exportadores, investidores estrangeiros e de outros bancos. No fim do dia, faz-se um balanço: se houve mais compradores que vendedores a cotação sobe, pois a procura por dólares foi maior. A cotação cai quando a oferta é maior que a procura.

- Mercado aberto: se refere às empresas que têm Capital Aberto, que são as Sociedades Anônimas. Empresa de Capital Aberto significa que qualquer pessoa pode ser sócia desta, desde que compre partes da mesma - que chamamos ações. As negociações das ações são feitas na bolsa de valores - onde o preço é público, assim todos podem comprar pelo mesmo preço que é definido pela oferta e procura.

Dentro do mercado financeiro existe um grande número de investimentos, como Poupança, Fundos de Investimentos, CDB, Ações, etc. Podemos dividir os principais investimentos em dois grupos: Renda Fixa e Renda Variável.

Ativos de Renda Fixa

São investimentos que pagam, em períodos definidos, uma certa remuneração, que pode ser determinada no momento da aplicação (pré-fixado) ou no momento do resgate (no final da aplicação - pós-fixado). Para entender o que é um título de renda fixa imagine cada título como um empréstimo. Cada vez que você compra um título de renda fixa você está emprestando dinheiro ao emissor do título (que pode ser o seu banco, uma empresa ou o governo). Os juros cobrados são o pagamento que você recebe por emprestar seu dinheiro.

Os títulos de renda fixa podem ser públicos ou privados.

- Privados:

1- Caderneta de poupança: é a aplicação mais conservadora. É um investimento de pouco risco e por isso o retorno também é muito pequeno. O rendimento é de 0,5%+TR ao mês. A TR (Taxa Referencial) é calculada diariamente com base no CDB. Sobre a rentabilidade da poupança não é preciso pagar o imposto de renda e a CPMF, quando da sua vigência, era devolvida caso a aplicação ficasse depositada por mais de três meses. A liquidez é de 30 dias - isto quer dizer que se você sacar seu dinheiro antes dos 30 dias você perderá a remuneração.

2- Fundos de investimentos de renda fixa: os fundos de investimentos podem ser de renda fixa ou renda variável e são os investimentos mais comuns no mercado. Os fundos de investimento funcionam como um condomínio de investidores, ou seja, comparando com um condomínio de um apartamento os condôminos (ou investidores) deixam a administração do prédio (ou carteira do fundo) para o síndico (ou gestor do fundo). Em um fundo de investimento, o administrador do fundo aplica os recursos dos investidores em vários tipos de ativos (patrimônio do fundo) de forma a aumentar o retorno e minimizar o risco da carteira do fundo. O investimento em fundos é indicado para quem quer diversificar os seus investimentos com a orientação financeira de especialistas na administração dos diversos tipos de ativos que compõem a carteira do fundo.
Os fundos de renda fixa podem ser divididos em:

  • Referenciados: tem como referência um índice, que pode ser o CDI, dólar, euro, Ibovespa, etc. Exemplos de fundos referenciados: Fundos DI e Fundos Cambiais.

  • Não Referenciados: os fundos incluídos nesse grupo não precisam seguir o desempenho de um índice específico, e por isso podem aplicar seus recursos em títulos de renda fixa pré ou pós-fixados. Dentre os fundos não referenciados estão incluídos os fundos de renda fixa tradicionais, cujo retorno varia de acordo com a estratégia adotada pelo gestor do fundo.

  • Genéricos: em geral, são fundos com um perfil de investimento um pouco mais agressivo do que o dos referenciados e não referenciados, pois têm liberdade para decidir como investir seus recursos. Até 49% do patrimônio do fundo pode estar investido em ações. Dado o perfil de risco desses fundos, recomenda-se uma análise ainda mais detalhada do estatuto do fundo. Exemplos de fundos genéricos: Fundos Derivativos, Fundos multicarteira e Fundos FIEX.

As taxas e impostos têm grande importância na rentabilidade do fundo pois variam entre os diversos fundos e entre os bancos também e por isso podem acabar reduzindo substancialmente o retorno do seu investimento. São cobradas taxas de administração sobre o valor aplicado que pode variar de 0,5 a 2% ao ano e 20% sobre o lucro de imposto de renda.

3- CDB: Certificados de Depósito Bancário. São títulos emitidos por bancos com o objetivo de captar recursos em troca de uma taxa de juros que pode ser pré ou pós-fixada. Ou seja, é como se você tivesse emprestando dinheiro para o banco e este banco emprestará este dinheiro para outras pessoas por uma taxa maior. Esta é uma das principais fontes de receita dos bancos. 
Além dos CDBs, os bancos também emitem os RDBs (recibo depósito bancário), que tem as mesmas características de um CDB, com a diferença de que não há negociação antes da data do seu vencimento, ou seja, você não pode resgatar seu dinheiro antes do prazo de vencimento que normalmente pode variar de 30 a 180 dias.

4- Debêntures: são títulos emitidos pelas empresas com prazo certo e remuneração certa, que têm como garantia os ativos das empresas. As empresas emitem debêntures para financiar a empresa - é como se elas obtivessem um empréstimo a longo prazo em troca dos títulos. Quando você compra uma debênture, está na verdade emprestando dinheiro para a empresa, correndo risco de que elas não venham honrar seus compromissos. Para tornar suas debêntures mais atrativas para os investidores, algumas empresas dão garantias na emissão de debêntures. É um investimento atraente, pois os juros são altos. Nas grandes empresas de capital aberto os riscos são baixos, pois os balanços das empresas são públicos, ou seja, são divulgados para o conhecimento de todos - assim você pode saber se a empresa anda bem ou não. As debêntures não dão direito aos lucros ou bens da empresa. As debêntures podem ter remuneração pré-fixada ou fixada em um índice mais juros. A rentabilidade também é definida pela valorização dos títulos.
A tributação é de 20% de imposto de renda sobre os juros pagos mais 20% de imposto de renda sobre o rendimento líquido do título. Há incidência regressiva de IOF no caso de resgate antes de 30 dias. Estes impostos são descontados diretamente da sua conta (retido na fonte).

- Públicos: 

Os governos federal, estadual e municipal emitem títulos com a finalidade de captar recursos e financiar as atividades como educação, saúde, etc. Esses são os chamados títulos da dívida pública.
Qualquer pessoa residente no Brasil pode comprar títulos públicos, sendo necessário cadastrar-se primeiro num agente de custódia que pode ser um banco ou corretora de valores. Também pela internet no site do Tesouro Nacional ou nos sites dos principais bancos você poderá comprar títulos, desde que esteja cadastrado num agente de custódia. A negociação será feita essencialmente pelo site do Tesouro Direto, por um sistema seguro que só dá acesso à área exclusiva mediante validação do CPF e senha. O valor mínimo para compra é de R$200,00. Os principais títulos negociados são os títulos federais, a citar: Letras Financeiras do Tesouro, Letras do Tesouro Nacional e Notas do Tesouro Nacional.

Ativos de Renda Variável
São vários os investimentos em ativos de renda variável, cujo lucro é determinado pela diferença entre o preço de compra, mais os benefícios (aluguéis, no caso de imóveis ou dividendos, no caso das ações), menos o preço de venda. Além de ações, existem outros como moedas (dólar, euro, iene etc), commodities (soja, boi, açúcar, café etc) e fundos de investimento de renda variável. 

1- Fundos de investimentos de renda variável: os ativos que compõem a carteira dos fundos de investimentos podem ser: ações, renda fixa, mistos, cambiais, imóveis, títulos de empresas emergentes, etc. O valor mínimo de aplicação ou resgate varia muito de fundo para fundo, mas em geral a aplicação mínima começa a partir de R$ 250,00 o mesmo vale para os resgates mínimos. A tributação também é semelhante aos fundos de renda fixa, ou seja, taxa de administração e imposto de renda sobre os ganhos.

2- Investimentos imobiliários: aquisição de bens imóveis como casas, terrenos, etc. Comprar um apartamento ou sala de escritório com o objetivo de obter uma renda mensal de aluguel sempre esteve associado a segurança. Dependendo das características do imóvel, os ganhos com aluguel ficam entre 0,80% e 1,20% ao mês (sem descontar os impostos). Entretanto, investindo em imóveis você também deve levar em conta a sua baixa liquidez, isto é, se você precisar vendê-lo com urgência, poderá encontrar dificuldades.

3- DÓLAR: o investimento em dólar é indicado para:

  • quem vai viajar para o exterior;

  • para quem pretende enviar dinheiro para uma conta aberta no exterior (no caso quem negocia com importações;

  • para quem tem dívidas em dólar;

  • em períodos de grande instabilidade econômica e inflação elevada.

Quem compra dólar como investimento também deve lembrar que há uma boa diferença entre o preço de compra e o de venda da moeda, o chamado "spread". Assim, o investimento nesta moeda só valerá a pena se ela subir tanto que compense essa diferença (como aconteceu na desvalorização do real no começo de 1999), e ainda garanta um bom retorno comparado com os outros investimentos. Mesmo assim, se você pretende investir em dólar, os fundos referenciados em dólar são sempre melhor negócio do que ter dinheiro em espécie.

4- OURO: o preço do ouro no Brasil é fixado em função da variação do dólar e da variação do preço do metal no mercado internacional. Portanto, tenha cuidado ao investir nesse mercado, já que a cotação do dólar será decisiva no rendimento da sua aplicação.
Além disso, em momentos de variação excessiva e incertezas, você pode ter maior dificuldade de negociação na hora de se desfazer da aplicação. Se decidir investir, procure realizar com uma pequena parcela do seu capital.
Cotação - O valor do metal no Brasil acompanha a variação do preço internacional e a cotação do dólar aqui.

5- Ações: são títulos negociáveis de renda variável que representam a menor parcela do capital de uma empresa. Ou seja, ações são como pedaços de uma empresa. Quando você compra ações de uma empresa é como você possuísse pedaços dessa empresa. As empresas precisam de dinheiro para financiar suas compras, ampliar instalações, ampliar os negócios, etc. Para não pegar esse dinheiro emprestado com os bancos onde os juros são altos, as empresas emitem ações para levantar o dinheiro sem o pagamento dos juros. Para compensar ela paga aos sócios (que são os compradores das ações - os acionistas) a participação nos lucros (dividendos). Esta é uma forma das empresas conseguirem dinheiro com baixo custo. Quando você compra ações é como se você emprestasse dinheiro para uma empresa e em troca recebe parte do lucro dela. As ações são conversíveis em dinheiro a qualquer tempo, sendo negociadas na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo). 
 

A palavra trader significa negociador, em inglês.

Este termo refere-se a uma espécie de investidor de mercado de ações. Logo, nem todo investidor é um trader.

Apenas as pessoas que vivem essencialmente da atividade de operador de mercado de ações podem se denominar traders.

 

Algumas pessoas utilizam estratégias de longo prazo. São, basicamente, pessoas que acreditam na instituição na qual estão investindo seu respectivo capital. Elas compram efetivamente um pedaço da propriedade da empresa em si, incluindo o seu time gerencial, suas estratégias de aumento de market share e sua linha de produtos e/ou serviços. Fazem isso se baseando em estudos sobre a projeção de capital das organizações, utilizando a conhecida Análise Fundamentalista. Este perfil de investidor, na maioria das vezes, se sente motivado a ir para assembléias gerais dos acionistas e ler relatórios gerenciais referente às empresas que estão presentes em suas carteiras de investimentos. Estas pessoas não fazem especulações para decidir onde investir. Esses são osINVESTIDORES.

 

Outras pessoas utilizam estratégias de médio, curto e até curtíssimo prazo, que no casa será o que os alunos da " MAIS " vão aprender ao longo do curso de OPÇÕES BINÁRIAS. São pessoas que não se importam muito com as instituições na qual estão investindo o seu capital, não se importam com o seu time gerencial, com as perspectivas de consumo do mercado nem com a produção global. Não compram coisas concretas como empresas, grãos, energia ou ouro. Essas pessoas compram ações, contratos futuros e opções binárias. Importam-se com o preço, pois negociam essencialmente o risco. Estes investidores fazem muitas especulações e utilizam as Análises Grafistas (gráficas) para tomar decisões e saber a hora certa de comprar e vender suas ações ou moedas. Alguns executam inclusive uma ou mais operações completas (compra e venda) dentro de um mesmo dia. Esta operação é chamada de Day-trade. Logo, investidores com este perfil são denominados TRADERS.

 

Algumas pessoas que conheço não gostam muito da idéia de especular. Eu diria até mais: Essas pessoas possuem aversão ao mercado de ações justamente por causa dos especuladores e não se sentem confortáveis em atuar em um mercado onde existam traders, pois os mesmo influenciam agressivamente no preço das ações, que no nosso caso são " pares de moedas ".

Porém, é importante destacar a importância de um mercado que contém investidores e traders com as mais variadas estratégias de investimentos. É simplesmente por causa das estratégias de investimentos de médio, curto e curtíssimo prazo que o mercado é considerado saudável e justo. É pelo fato de existir um número enorme de traders que o mercado tem um nível confortável de liquidez. Isso significa que você pode comprar e/ou vender a qualquer instante, pois sempre haverá alguém ofertando um preço para adquirir os seus papéis. Nosso papel dentro da escola é fazer com que você obtenha o maior número de informações e aprenda a fundo nossa maneira de trabalhar/operar para minimizar os riscos o ter bons resultados. O que nós oferecemos são conteúdos de qualidade para que você alcance o sucesso e viva muitissimo bem como um TRADER.

CONHEÇA MAIS

CONHEÇA A XM GROUP

FALE CONOSCO

Tel (16) 99106-1798     

Tel (16) 99130-1730

Tel (16) 99185-2022

Email: contato.escolamais@gmail.com

© Mais - Escola de Negócios 2015 - 2019 

Todos os Direitos Reservados. CNPJ: 22.176.456/0001-40